sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Atenção! As regras para viajar com animais pela Europa, incluindo o Reino Unido MUDARAM. Na verdade já foram alteradas há algum tempo, desde 2012 e acredito que ficaram mais amenas, excluindo a tão longa e temida por todos QUARENTENA.

Para o caso de trazer o seu filhote do Brasil ou outro país não elegível (que tenha casos de raiva) é preciso entrar em contato com as autoridades do país de destino pois as regras podem ser mais duras. Deixarei o novos links diretos:

Para UK:
https://www.gov.uk/take-pet-abroad  O site está em inglês, mas nada que o bom google translator não resolva.

Para outros países da União Europeia:

Basicamente a mudança mais significativa foi em relação ao número de dias obrigatório após a vacina anti-rábica para viajar, que passa a ser de 21. Mas leiam os links acima e em caso de dúvidas aconselho-os a enviar um e-mail ou ligar diretamente ao órgão responsável do país de destino, normalmente o ministério da agricultura ou algo do gênero.

Por via das dúvidas, mantenho as minhas crianças de quatro patas com tudo em dia, já que somos nômades e não ficamos muito tempo em país nenhum.

Para quem não viu os posts anteriores sobre viajar com animais, aqui estão:



Beijinhos saudosos aos meus leitores!


7 comentários:

Thais Sousa disse...

Ola Carol! Adorei seus posts.. Eu tbem sou meio nomade mais amo animais e nao sei viver sem eles. Eu e meu marido (irlandês) estamos vivendo no Brasil e adotamos um cão aqui. So que ainda pensamos na possibilidade de um dia voltarmos para a Irlanda e levar nosso filhote conosco, e claro! Como não ha voo direto Brasil / Irlanda teremos que fazer uma conexão obrigatória. Nesse caso qual pais seria mais indicado já que gostaríamos de poder solta-lo, para comer, beber água, caminhar e fazer suas necessidades antes de reembarcarmos Ele e um golden retriever grande então terá que ir como carga...snif, snif:( Fico pensando, como ele vai passar mais de 10 horas sem comer e beber agua? E melhor seda-lo? Se sim, isso nao vai deixa-lo desanimado na chegada?... Mesmo tendo tudo organizado, ele tera que passar por exames veterinarios na chegada na Irlanda ou ja sai do aeroporto direto com a gente? Fico pensando, sera que ele não vai estar enjoadinho por causa da viagem e aparentar estar doente apesar dos exames estarem ok? Ele fica triste quando esta sozinho, por isso pensei em fazer uma conexão com intervalo longo e direito a alimentação e passeio pra dar uma animadinha e chegar na Irlanda com cara de saude...rs...

Thais disse...

Ola Carol! Adorei seus posts.. Eu tbem sou meio nomade mais amo animais e nao sei viver sem eles. Eu e meu marido (irlandês) estamos vivendo no Brasil e adotamos um cão aqui. So que ainda pensamos na possibilidade de um dia voltarmos para a Irlanda e levar nosso filhote conosco, e claro! Como não ha voo direto Brasil / Irlanda teremos que fazer uma conexão obrigatória. Nesse caso qual pais seria mais indicado já que gostaríamos de poder solta-lo, para comer, beber água, caminhar e fazer suas necessidades antes de reembarcarmos. Ele e um golden retriever grande então terá que ir como carga...snif, snif Fico pensando, como ele vai passar mais de 10 horas sem comer e beber agua? E melhor seda-lo? Se sim, isso nao vai deixa-lo desanimado na chegada?... Mesmo tendo tudo organizado, ele tera que passar por exames veterinarios na chegada na Irlanda ou ja sai do aeroporto direto com a gente? Fico pensando, sera que ele não vai estar enjoadinho por causa da viagem e aparentar estar doente apesar dos exames estarem ok? Ele fica triste quando esta sozinho, por isso pensei em fazer uma conexão com intervalo longo e direito a alimentação e passeio pra dar uma animadinha e chegar na Irlanda com cara de saude...rs...

Carol Sales disse...

Oi Thais,

Eu te entendo perfeitamente... Ficamos sempre preocupados né? Olha, sei que a questão de sedar depende da companhia aérea, já ouvi testemunhos em que a companhia pede para não sedar e colocar alimentador e bebedor automático na transportadora porque se houver algum problema o animal consegue se proteger melhor estando acordado. De qualquer maneira a fiscalização entende que o bichinho enfrentou trauma e chega meio debilitado mesmo, nada que muito amor não resolva depois... Se você puder fazer uma conexão dessa forma, para dar uma atenção no meio do caminho, aconselho a França, eles me parecem mais compreensivos em relação aos animais. Mas tenta se informar na companhia aérea e não esquece de ver as companhias elegíveis para a Irlanda. De qualquer maneira, se puder sedar, eu faria porque é muito stress para eles. Boa sorte, qualquer coisa volta por aqui para compartilhar a experiência, tá? Beijos!

Thais Sousa disse...

Ola Carol,

Estamos já pesquisando as possibilidades com algumas empresas brasileiras que cuidam da documentação. Me informaram que na Irlanda animais só podem entrar como carga viva desacompanhada(em avião de carga, processo de exportação internacional). Nos recomendaram Lufthansa com escala em Frankfurt. Apos despacharmos ele em Sao Paulo só teremos acesso a ele no hospital veterinário de Dublin. Todo o processo fica em uns 8 mil reais. Bem mais caro que o nosso voo... mas enfim, não vou sem ele! Pensamos na opção de leva-lo de Ferry como voce fez, mas dai a documentacao e ele teriam que ser checados na Franca. Isso e complicado? Me disseram que eu precisarei contratar um despachante aduaneiro em Dublin. Você precisou disso? Como foi o processo com você? Enfim continuo pesquisando e vou postando as informações aqui,quem sabe assim ajudo mais alguem... Abracos

Carol Sales disse...

Thais, mil desculpas pelo atraso!!! Olha, não precisei de despachante não, os documentos foram checados somente na Irlanda, eles pregaram um adesivo fluorescente no vidro do carro para indicar que tinha animal e na saída do ferry tinha uma zona a seguir por quem tinha o adesivo. Lá eles checaram toda a valiosa documentação e nos deixaram passar. No final não foi tão assustador. Acredito que a viagem de ferry foi muito traumatizante para o meu gato, ele chegou meio em choque, o local que eles ficam tem cães e gatos juntos e ele ficou muito assustado. Mesmo sedado. E o movimento do barco tbm não deve ser muito agradável para eles. Eu mesma passei a viagem verde, passando mal... Enfim, se você conseguir por avião, acredito que seja mais rápido. Quando saí da Irlanda para Bélgica, entramos por Frankfurt, eles checaram a documentação e também foi simples. É isso. Obrigada por nos manter informados, muitos leitores agradecem e eu também! Beijinhos, super boa sorte!!

Thais Sousa disse...

Essa semana começaram os procedimentos para a viagem do Bailey. Ele já tinha sido vacinado para raiva ha 3 meses atras, mas como ele não tinha microchip, o ministério da agricultura irlandês pediu para que ele fosse revacinado apos colocar o microchip e que aguardássemos os 30 dias apos essa revacinação para fazer o teste de sorologia da raiva. Sempre que surge alguma duvida, enviamos e-mail para eles, que respondem de imediato.... Agora vamos aguardar... Sera uma longa espera!

Havron Wolkoff disse...

Olá carol boa noite, tenho um poodle médio estou tentando leva-lo para portugal. morro de medo de despacha-lo no lugar da carga. será que comprando uma passagem ele não pode ir ao meu lado dentro do avião com funcieira?

obrigado

havron

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...