terça-feira, 5 de outubro de 2010

Algumas semanas atrás postei aqui sobre os cursos de francês e holandês que estou fazendo (post: Estudante em tempo integral). Falei sobre a declaração do serviço de desemprego (ACTIRIS) que consegui, e consequentemente que havia pago somente 50 euros pelos cursos.

No semestre passado eu fiz um outro curso de francês com o João, em outra escola, que me cobrou o dobro do valor do curso porque sou brasileira. Na legislação da Comunidade Européia diz claramente que o cônjuge deve ter os MESMOS direitos que o cidadão europeu por direito adquirido. Lei não cumprida escancaradamente por aqui. Imprimimos a legislação e levamos à escola, o que não serviu de nada, disseram que a escola fazia suas próprias REGRAS... Se não aceitássemos, que procurássemos outro curso. Como tínhamos recém-chegado e não haviam outros cursos com vagas disponíveis no mesmo período, engolimos o sapo.

Na verdade, o ACTIRIS diz que dá direito ao curso de graça, mas paguei 50 euros por REGRA da nova escola que escolhi, por ser mais perto de casa. Bem, hoje recebi uma nota da professora para comparecer à diretoria. Me senti como uma criança no colégio quando é mandado para a coordenação porque fez algo errado.

Chegando à entrada da diretoria, vi um aluno saindo e aproveitei a porta aberta para entrar. Já levei bronca aí, porque segundo uma das atendentes ou sei lá quem era que estava da porta para dentro, disse que eu deveria ter apertado a campainha e esperado alguém abrir a porta para mim. Exagerada. Perguntei se ela queria que eu saísse e tocasse a campainha, ela falou que já que eu tinha entrado e já estava lá, não importava mais, porém que não se repetisse. Pensei, em que época estou e quantos anos tenho? Fiquei horrorizada.

Bom, de pé em frente à "delicada" pessoa que me "atendia", ela checou no sistema e disse que faltava no registro meu número de celular, que passei em seguida. Quando eu já ia sair, ela disse para esperar porque tinha mais uma coisa. A minha inscrição no ACTIRIS havia sido dia 15 de Setembro e que eu tinha que pagar os cursos no valor integral pois só tinham direito ao benefício quem havia se inscrito até o dia 14 de Setembro. Nessas horas, não sei porque, talvez o sangue sobe para cabeça e você trava. Não conseguia me expressar em francês e pedi para falar em inglês. Ela falou que não aceitava, embora entendesse inglês. A raiva foi só aumentando. Lembrei de tudo que passei em Portugal, das dificuldades propositais que colocavam para os brasileiros em tudo.

Perguntei aonde estava escrito essa história de "até o dia 14 de setembro" e porque não me disseram no dia da inscrição, há quase 1 mês atras. Então ela se levantou e falou bem alto que eu fosse falar com a diretora geral, do outro lado da sala porque ela tinha perdido a paciência comigo. Lá fui eu falar com a chefa que também não conseguiu me convencer porque eu, desempregada e inscrita nas estatísticas do governo, tinha que pagar tudo, quase um mês após começar o curso, e por que ela não me falou isso no dia que fui me inscrever, e por que e aonde estava escrito que as declarações do ACTIRIS só eram válidas até o dia 14 de setembro, e dia 15, meu caso, não valia mais. Ela disse que não tinha como provar ou mostrar nada, que era REGRA da escola. Ponto.

Depois de ninguém me convencer, eu precisava sair dali para pensar pois estava com os nervos à flor da pele. A chefa queria que eu pagasse imediatamente e eu falei que não, que se eu voltasse, na próxima aula pagaria. Acho muito engraçado esse país, não cumprem leis, fazem regras na hora que querem, te tratam como não gostariam de serem tratados e você tem que engolir tudo... Meu conceito sobre a Bélgica está caindo... Caindo... Ai que saudade da Irlanda...

6 comentários:

Cíntia Anira disse...

Credo Carol! Tô de cara! Talvez você devesse traduzir esse mesmo texto para o inglês e publicá-lo. É uma forma de divulgar essa injustiça. O que é certo, é certo! Beijos

Um sonho a dois disse...

Carol querida...respire fundo. Não perca seu otimismo e esperanças. Vc bem sabe"Nada é por acaso". Se passamos tanta situação de injustiças em nosso país amado imagina em outros...
Desejo de coração que tudo vá se organizando na sua vida aí e que vc jamais perca a sua alagria em viver onde quer que seja na companhia de seu maridão....Bjs,
Cibele.

Anônimo disse...

Oi, meu nome é Juliana e atualmente estou morando na Bélgica, também! Procurando por informações sobre cursos de holandês e francês na internet encontrei o seu blog! Achei super legal, a ponto de diexar meu comentário. Acho que vc não pode generalizar as escolas em Bruxelas e na Bélgica. Eu estou fazendo meu curso de holandês numa cidade chamada Hasselt e as pessoas foram muito educadas e prestativas, falando comigo em inglês e as vezes até espanhol, que eu falo tb. Atualmente eu estou procurando um curso de francês em Bruxelas e, como eu tb estou desempregada aqui, estou pesquisando mto os preços, mas em todas as escolas que eu fui ou liguei sempre foram educados e me passaram valores que condizem com a realidade! Infelizmente vc passou por isso e eu gostaria de saber qual foi essa escola, para que eu n passe pelo mesmo futuramente!
Só acho que vc n deveria generalizar, a Bélgica é um país lindo, vc somente n tee sorte :D:D

Juliana

Carol Sales disse...

Olá Juliana! Obrigada pela sua visita.

Você falou muito bem, não se pode generalizar, existem exceções em toda regra :) Talvez na sua cidade as pessoas sejam mais acolhedoras e educadas, mas infelizmente aqui em Bruxelas não tenho tido muita sorte, não sei se é porque tenho a mania de comparar com Dublin, onde morei antes e lá não tenho do que reclamar em relação a educação e gentileza do povo... Depois de um ano aqui em Bruxelas, não tenho muitos elogios. Mas bem, quanto as escolas, a primeira foi uma la em Louise, que pra te falar a verdade nem lembro o nome, pois saí logo, e a atual é o centro de estudos de Eterbeek. Abraços e volte sempre. Se puder, deixe seu contato. Carol

Edson Roza disse...

Olá, Carol...espero q tenha tido sucesso em sua empreitada na busca do curso almejado!Bom,...preciso de orientação:tenho familiares indo morar em Bruxelas...pretendo aproveitar a oportunidade e enviar minha filha de 16 anos p/um curso de idiomas nas férias (julho ou janeiro); ela possui maior fluência em inglês + estuda francês há 04 anos no ensino fundamental. o que vc sugere?

Michele Morais disse...

Olá Juliana, estou querendo estudar inglês ou francês aí em novembro. Queria francês ou inglês?! O que recomenda?! Qual escola em Bruxelas?!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...